Município participa de tratativas para a implantação de uma Escola Família Agrícola na região

Na tarde de terça-feira, 15, a secretária municipal de Educação Jaqueline Castro dos Santos juntamente com a chefe de Gabinete Lóren Pinto Ferreira, receberam uma comitiva, formada através do Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental dos Municípios da Bacia do Rio Jaguarão – CIDEJA, responsável pela articulação e implementação de uma Escola Família Agrícola (EFA), na região.

A comitiva é formada pelo professor Alex Sandro Elizalde Perleberg, pela coordenadora Sandriani Braga que é formada em ciências agrárias e educação do campo e pela secretária executiva do Cideja, Liziane Jardim.

Conforme informado, a EFA será uma instituição privada de ensino médio técnico, com finalidade comunitária e trabalhará com pedagogia da alternância como alternativa para formação de jovens no campo.  “O objetivo é oferecer educação técnica voltada para filhos de pequenos agricultores e diminuir o êxodo rural da Região da Campanha Gaúcha”, explicou o professor Alex.

Segundo informado pelo grupo, trabalha-se com a hipótese do polo se instalar nas dependências da FEPAGRO no município de Hulha Negra /RS. Liziane explicou que a ideia do grupo é colher informações nos municípios que integram o CIDEJA para embasamento ao projeto que será apresentado ao Governo do RS.

De acordo com a Lóren, com a implementação do projeto, alunos dos sete municípios que constituem o Cideja, poderão receber esse tipo de capacitação. “O que ajudará na manutenção e na melhoria da produção rural”, enfatizou Lóren.

O QUE É UMA EFA?

A EFA consiste em um modelo diferenciado de educação para o jovem do campo. A proposta é trabalhar a partir da realidade vivenciada e capacitar o aluno por meio do curso de Ensino Médio Técnico, pautado na metodologia conhecida como Pedagogia da Alternância.

 O método consiste em alternar o conhecimento teórico desenvolvido pelo aluno na escola com a prática executada na propriedade de sua família. Esta segunda etapa do processo, que consiste no desenvolvimento das aprendizagens, também é acompanhada por professores-monitores.